Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sábado, 15 de abril de 2017

Porque uma imagem vale mesmo muito mais que mil palavras...

Foto Luis Filipe Barraca Pereira

Uma foto notável,
onde se precipita a paixão por tudo e por quem lhe diz muito mais que o suficiente para se ser feliz.

Depois,
o olhar que em desafio se esconde da presença,
mas não se desliga de um enredo de vida que se quer elevar ao lugar que mais merece uma verdadeira família,
onde existem amigos irmanados em um só,
e que se estendem apaixonados,buliçosos e alegres nos braços da alma Buarcosense.

Os raios de sol,
apontam num todo para um "palco de sonhos",
mas distribuem-se paulatinamente e em redor dos que lhe fazem bater o coração,
como que dando ênfase a uma estrela que pertence à essência de quem a reconhece,
e se identifica com aquele azul do céu,
enquanto fundo de um casario onde a história está colorida com a irreverencia limada dos taraus,
e em uma sincronia sempre aplaudida pelas ondas do Mar.

Ouvem-se os gritos por "uma bola em sobressaltos",
finta-se o destino em lances desafiantes,
constrói-se na arte o viver de uma vitória que sempre servirá para honrar a tradição.

Ó Buarcos lindo,
berço que me tocou no "alto de um forno",
e assim inseparável me faz aquecer entre ti e o amor que tenho por aquela Figueira doce e amiga,
que na tua sombra histórica,
se projetou para completar a emoção perfeita entre a pujança do mar,e a brandura do rio.

Uma foto são muito mais que mil palavras,
às quais todos nos podemos entregar na procura da definição que melhor nos atinja a alma.
Voar é um sonho,
onde no cruzamento com o que se sente,
as asas nos fazem pular quase sem se ver,
desligando-nos do mundo menos interessante,
e dando-nos a paz que mais procuramos...

custcruz


(Obrigado Luis Filipe Barraca Pereira,
por teres feito a introdução(imagem) deste meu simples texto).
Abraço.