Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...
"...No dia em que me silenciarem a voz,não me apagarão os gestos,no dia em que me aniquilarem os gestos,nunca farão esquecer os meus sentimentos..." CustCruz

sábado, 28 de novembro de 2020

O fim da linha, para um Mestre do Futebol...

 Partiu um verdadeiro homem do futebol, que com a essência do jogo sempre venceu, mas por isso, sempre foi segunda escolha...

 A ultima caminhada não tem distancia certa, o ultimo sorriso nunca se insinua como tal, o sonho apaga-se num silencio ensurdecedor, e o que fica, é a dimensão do legado conquistado...

custcruz


quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Partiu deste mundo um mago da bola, disse adeus à vida o Maradona dos excessos...


Viveu para além do sonho, e alcançou o melhor do desejo, marcou nas emoções do futebol, mas encurtou no exemplo de vida...
Que a mão de Deus, te receba em PAZ...
RIP

terça-feira, 24 de novembro de 2020

O senhor Dário, e a pesca entre Deus e o Diabo...

Uma foto, de um Senhor Dário, um pescador que não conheço, mas de quem facilmente se deduz ser um humano de sensibilidade perspicaz, e que assim vê ao longe, o que entende ser possível conjugar pelas mensagens de vida.

Não é para qualquer um projetar o que a sua mente persegue, pois por até querer sonhar para além do mais, sabe que no desafio é preciso correr no momento certo, para agarrar a lua, e a prender ao mar revolto...
Um homem, e uma profissão onde ser destemido é obrigatório, concedem-nos esta imagem, tão fiel à essência do palco que a traduz, onde Deus é o companheiro de labuta mais desejado, e o Diabo se insinua no atrevimento do desafio.
Olha-se para este registo, e encontra-se no poder da natureza os brilhos sedutores que nos enchem os olhos, mas que ainda assim, não deixam de nos fazer estremecer a alma, e se esta profissão sustenta quem dela vive, em "esta pesca", se confirma um sinal do que para se viver, em tantas vezes se caminha "no fio da navalha"...
custcruz

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

A pandemia, um ser humano e um gato, a sensibilidade e o amor à Terra...

 

A fotografia, é uma outra paixão que tenho, não no desafio da captação, mas muito mais perante o que "é caçado" por outros, e me toca num arrepio de emoções, mesmo até que não os conheça de lado nenhum.


Aqui pelo mundo tecnológico, também até sinto uma brisa da noite, e assim, nem deixo de desfrutar em pleno pelo tal arrepiar dos sentidos, porque também em todas as vezes em que me deparo com a diferença, solta-me a alma, e embalo atrevidamente na perceção do que posso não ter a certeza, mas exponho na procura da certificação genuína...
Estas imagens, disparadas por um tal, Diogo Maia, cativaram o meu envolvimento na mensagem proporcionada, pois pelo ressalto talentoso da sua sensibilidade, ainda mais se expande a tradução fiel de uma guerra silenciosa, onde artérias que muito dizem a quem ama a Figueira, surgem gélidas de um calor humano, que as compõe num qualquer contexto, que não este, e ao qual não estávamos habituados.


Mas eis que, também pelo meio da escuridão avassaladora, onde o silencio se insinua tenebroso na calçada do Picadeiro, corre passo a passo uma sombra rasteira, que no cálculo persegue um casal amigo, que em sítios certos, nunca falha com a comidinha que lhe aconchega a noite de sono, e lhe dá pujança à energia que o transportará a um novo dia.
Isso mesmo, na primeira foto, antes do Caçarola Dois, e já muito perto do Ipanema, quem sabe os seus amigos por lá estejam, no hábito do café da noite, e onde com o roçar nas pernas e um miar de afeto, lhes possa suplicar o saquinho da sua delicia pontual de vida.
Pois é, mas a Pandemia vai reinando, e se eu como muitos, entendi não ir em busca do meu descafeinado, também não tenho a certeza, se os Amigos deste Gatinho Cinzentão, por ordens do bom senso de confinamento , por lá não apareceram, e deste modo, terá sobrado perante a aproximação para o registo sensível do Diogo Maia, e por entre o monte das cadeiras, o olhar vidrado de um animal de rua, num choro intenso e suplicante, por algo que nem sempre se advinha pela necessidade.

Fica a esperança de um desidrato mais feliz do que o que perspetivo, na certeza porém, de que o COVID 19, já era hora de "dar à sola" para bem longe, de modo a acabar com a Guerra, e fazer regressar uma Paz que faz falta ao Mundo, e não só a quem quer que seja...
custcruz

domingo, 1 de novembro de 2020

Dia dos finados, e as saudades dos progenitores da minha alma...


Dois pés floridos,
uma vela tão branca quanto resplandecente de uma saudade que me afaga a alma,
por um gesto tão simples,
quanto o desejo que guardo para o sonho do reencontro.
Serei estranho como ser humano,
mas nunca para vós que me atraíram pelo brilho da pureza dos sentimentos, caminhando pé ante pé,
e aproximando-me cada vez mais de quem nunca me despego,
porque foi convosco que começou,
e um dia irá acabar,
ligando o raio de luz que iluminará a quem nos pertence por nos querermos bem...


Até um dia,
meus queridos Pais.
🙂

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

A verdadeira AMIZADE não tem tempos, é intemporal...


Nenhuma mascara esconde o sangue que corre nas veias...
Nenhuma mascara esconde os sorrisos que se soltam pelos olhos...
Nenhuma mascara esconde a expressão que transvasa para cá do que se sente...
Nenhuma máscara silencia o bater do coração...
Nenhuma máscara apaga o gesto do cruzamento...
Nenhuma máscara muda o brilho da amizade...
Nenhuma máscara aniquila a força da alma...

custcruz


domingo, 27 de setembro de 2020

Parabéns AdBuarcos2017...


 

O melhor sonho,

imana da alma, da inspiração , do espirito , da vontade pura , do amor fiel ao berço que o criou , em consonância com uma Família consolidada pelo orgulho na conquista da felicidade...

Que arrepio!!!

Poder voltar a sentir a ascensão de valores onde o dinheiro vale o que vale, mas sem nunca ultrapassar a razão pela qual a vida tantas vezes se perde, e nunca mais se encontra naqueles Abraços colados pelo coração, onde os impulsos que surgem daquilo que parece tão pouco, se torna tanto, fazendo catapultar quem nada pediu em troca, a não ser no que se possa ter como tributo do seu próprio esforço...
Que nostalgia a que sinto, por reconhecer alguns protagonistas, e constatar como também ainda hoje agem humildes na procura da estrela que os embale em conjunto com os mais novos, que em cada olhar lhes manifestam o respeito, e em cada drible, passe ou remate ,lhes igualam uma lição que se cria, ou se aprende a qualquer momento...

Que emoção tão estrondosa,

ver pais Abraçar filhos, para com eles compartilhar uma história, que ficará escrita nos píncaros da lua, e que radiosa se soltará para todo o sempre...

Eu nasci no Alto do Forno,

e espontaneamente me aconchego aos balanços do berço dos sonhos, desfrutando por um orgulho de um brilho, que sempre se conjugará a um sol que ilumine o Concelho da Figueira da Foz.

Parabéns AdBuarcos2017,

que a vida se alongue nos vossos prepósitos, que os sonhos nunca se esgotem no trajeto da vossa alma, que a Serra da Boa Viagem vos agasalhe dos "ventos tenebrosos", e o Rio Mondego,flua sempre no fortalecimento do Mar que banha o vosso palco de conquistas.
custcruz

domingo, 20 de setembro de 2020

Que interpretação, que genuinidade, que emoção criada num momento único.

Como em tudo na vida, só marca quem para além do mais é igual a si mesmo, pois as cópias quase perfeitas não são fáceis, mas a projeção do que se sente ,envolve muito mais pela diferença do que a própria vida nos concede... 

custcruz 

terça-feira, 15 de setembro de 2020

O Covid no Mercado da Figueira,ou a mentira na mistura das palavras,,,



Deprimente certas formas de informação,pois seria sempre prudente em defesa da verdade,explicar que o caso de Covid que mencionam relativamente ao Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz,vem de uma sucessão de acontecimentos familiares com origem em Lisboa,e que terminou em CASA da concessionária,e não no MERCADO,que por bem encerrou a sua loja como forma providencial,e de consciência responsável.
Por isso,e muito bem,uns mencionam como informação credível,que por não ter havido riscos de contágio,a loja está encerrada,sem necessitar de qualquer outro tipo de intervenção por parte dos responsáveis de saúde.


Já outros...pois...
Não basta mencionar um acontecimento,é preciso dar-lhe crédito com o conteúdo real,como uns FAZEM,e outros NÃO...

Explicar mais,
nem vale a pena,
o MERCADO tem muitos AMIGOS...


sábado, 12 de setembro de 2020

Desabafo de um observador...



É a leitura que me proporciona as respostas,
é a tolerância que me faz invocar as razões,
relembrando o que se tocou,
nunca por nunca o esquecimento se impõe,
como jamais,
se perderá um amigo em função da solidão...

Mesmo que os ecos se distanciem,
e os brilhos se misturem na vida,
um momento chegará,
em que a atitude toma conta do âmago de quem os viveu,
e o silencio mais se preenche de tudo o que valeu a pena...

Parar só,
não é ficar sozinho,
como pular num reboliço de gente,
não é preencher a alma de tudo o que mais se deseja...

custcruz

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

O Mercado da Figueira,a obrigação responsabilizada,e as possíveis tentações POLÍTICO COMERCIAIS.


No regresso pertinente do "Plano de contingência" devido ao COVID 19,será o bom senso e a sincronia de normas previstas e certificadas na prática,que devem CONTINUAR a ser cumpridas no Mercado da Figueira,e assim :
. Os seus portões,que por serem espaçosos ajudam a cumprir a directiva fundamental de distanciamento de 2 metros,não devem estar semi-abertos,mas sim de forma ampla,criando-se um reforço de rotas,evitando assim os cruzamentos das pessoas,e que para isso,basta dividir o espaço com uma grade e um indicador escrito.

.Na continuidade do cumprimento da lei,e fundamentado num estudo recente,deve-se impedir a infecção do ar por ambiente fechado,e assim,criar o máximo de condições para a maior ventilação possível.devendo os portões estar abertos.
.No Mercado da Figueira,só as participações negativistas e por escrito,apresentadas na Câmara Municipal,com intuitos tão pouco surpreendentes,quanto previsíveis,estão a fazer antever de forma falsa e irreal,aquilo que não corresponde à verdade,pretendendo apenas o aniquilamento social do espaço,motivando directivas desconexas,onde com as portas condicionadas por normas de limitação numérica de entradas ou de rotas únicas,farão criar linhas de clientes de espera,que só irão contra o que se pretende,e está comprovado pela DGS.
.A solução mais objectiva a colocar em prática,passa pelo comportamento no seu interior,e que em nada é condicionado por medidas únicas e aplicadas nas saídas e entradas,mas sim,com o rigor disciplinar de quem nos visita,e a pressão de regras por parte de quem ali é funcionário camarário,e que até o tem feito de forma capaz,advertindo os atrevidos na falta de máscara,e agindo directamente junto de aglomerados pontuais,que por apreciarem produtos perfeitamente definidos ali comercializados,se possam eventualmente esquecer do seu cumprimento circunstancial.
Não adianta,não tem lógica,nem funciona na prática,ter funcionários às portas para apenas indicar o uso de máscara,e limitar entradas em número,o que seria uma aberração,mas sim, intervirem,como aliás o têm feito,no todo do espaço,que por ser de faixa central ampla,e de outros corredores devidamente sinalizados em distancia,dá todas as condições no dinamismo PERSONALIZADO e alternativo de movimentos autónomos e distanciados,e muito mais a partir de agora,que o VERÃO já se sumiu,e os aglomerados são UTÓPICOS.

. Reforço,que à esquerda e à direita do panorama político local,haja o bom senso de não se alinhar pela tentação de lutas eleitorais antecipadas,utilizando subterfúgios calculados,na esperança de que com investidas populistas,se CRIEM ERROS,para FAZER CONTAS nas próximas eleições.Há...isto é só um pedido...
. Como aliás,na vertente concorrencial para com este espaço,TAMBÉM não prevaleça a tentação desumana,de denegrir quem tem cumprido devidamente com as regras exigidas.Há...isso mesmo,é só outro pedido...
.Acredito,na honestidade de quem desta faz uso,e em cada gesto de administração e correcção de erros,possa ganhar na consideração de quem espera avaliações justas e capazes...


E se já há exemplos abonatórios desde que a PANDEMIA NOS ATACOU,mais espero,que a coragem e o desígnio responsabilizado,possa prevalecer como o maior brilho de VERDADE...



custcruz

quarta-feira, 29 de julho de 2020

A descontinuação da mentira...em favor da verdade no futebol...



O Futebol tem uma alma imparcial,e por isso não tem sentido que o facciosismo clubista prevaleça na sua análise. 
Quem ama o futebol verdadeiramente,reconhece-lhe as suas virtudes e defeitos executados,e por isso,não se deve inventar argumentos para lhe elaborar razões,mas sim,ser fiel à enorme emoção que este jogo concede a quem o queira sentir. 
Amar um clube,é nunca o renegar,já aspirar à plenitude do seu êxito,é saber admitir os erros,para que um novo ponto de partida lhe possa conceder a concretização do melhor sonho. 
Para comunicar com um meio humano em massa,não é assertivo esquecer a responsabilidade pedagógica,porque na vida,não são só as escolas que formam,mas sim,muito mais os exemplos que fidelizam os bons valores.
O Futebol,é uma vertente de uma sociedade,e jamais poderá ser um mundo à parte. 
Quanto ao acabar programas com comentadores adeptos de clubes,nunca acontecerá,já elevar a seriedade nos protagonistas,pode ser a melhor opção na escolha que mais irá ao encontro de uma modalidade que até se joga com "uma bola redonda",e que por isso mesmo,tem "a luz" no imprevisível,e "o brilho" na verdade. 
Assim,Rodrigo Roquete,vê se te calas,pois o vosso estilo definitivamente é imprudente por contra natura,e assim não vingou... 

custcruz

quinta-feira, 25 de junho de 2020

Mais um ano,e mais um Aniversário...



Dia 25 de Junho,
no desfolhar do meu livro de vida...
Uma luz que revê um trajecto,
por um sinal de uma caminhada,
onde a Família e os Amigos são as estrelas que me iluminam...
Hoje é o dia do meu Aniversário,
amanhã é o princípio no redigir de uma nova página...

Conto convosco...

sábado, 13 de junho de 2020

A paixão e a sombra...,


Dei-lhe tudo o que tinha,
fiquei com o muito de um pouco,que só não é mais,
porque me esqueci de que também para amar,
não se pode apenas sonhar...

custcruz

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Portão histórico do Mercado da Figueira (lado do Jardim), encerrado de forma injustificada...

. Com a medida preventiva Covid 19,a entrada de clientes é feita pelo portão do lado do Rio,e a saída pelo portão das freirinhas,provocando concentração de pessoas numa só saída,e onde por existir uma caixa multibanco,mais se agrava a concentração adversa ao distanciamento social.
. Sendo o Mercado um espaço de corredores amplos,e ter o Portão do lado do Jardim encerrado,é ESTRANHO na aceitação enquanto medida preventiva,porque com mais uma alternativa de movimentos distanciados,evita o numero de cruzamentos entre pessoas.
. Se como medida no estado de EMERGÊNCIA,era aceitável, por não ser ainda obrigatório o uso de máscaras por parte de clientes e concessionários,agora que o é,no estado de CALAMIDADE,não tem sentido essa determinação,tal qual,como não é executada em nenhum espaço comercial,e com muito menos condições de arejamento e mobilidade.
Entretanto,o meu módulo está nesse portão...e com tanto sofrimento reflectido naturalmente por o meu artigo ser em muito direccionado para o Turismo,que nesta altura é zero,mais difícil a minha mínima sobrevivência se torna...
Contagem numérica de clientes?
Não apresenta necessidade,e por isso mesmo,nunca foi,nem sequer é feita...
Então sou eu a razão?

Não,eu já não valho nada,mas se calhar tamanho castigo também é desumano...

terça-feira, 9 de junho de 2020

9 de junho de 2019 às 19:31 ...Apenas mais um dia...entre o brilho dos sentimentos...





Entre giestas floridas,

flui a simplicidade e o amor,
e ainda que passe o tempo,
sempre o sol as invade com o seu brilho,
invocando o sentimento,
que um dia se colhe,
e nunca mais se perde...

custcruz

segunda-feira, 18 de maio de 2020

O Mercado da Figueira,o Covid 19,o Diabo...e a fé em Deus...


 Não vai ser fácil,o Covid modificou a socialização,as despesas de muitos elevaram-se inesperadamente,o estado espírito regrediu na confiança e caiu no medo...

O Turismo,
é uma aposta que não se perdeu,mas que vai oscilar num espaço de tempo transitório,e só depois,se saberá quem se aguentou...





Incrível mesmo,
é como o DIABO jogou esta cartada em benefício dos DIABRETES,que tudo sonham e fazem para terminar com o cariz Tradicionalista do Mercado da Figueira....
Afinal,
entre corpos caídos,mais apoio se tem para pisar outros propósitos e objectivos...


Só gostava mesmo de saber,mas que mal fiz eu a DEUS...
Se calhar nenhum,
e por isso mesmo,resta-me lutar...sem nunca desistir...

custcruz

terça-feira, 12 de maio de 2020

Eram outros tempos,no desejo de escrever uma história,entre um Peladão apaixonante,e um Relvado insinuado em uma estrela...


 
Dos iniciados aos juvenis,o desafio começava numa 1ªFase Distrital,o sonho sobrevoava nas intenções,mas só chegando e vencendo a 2ª Fase(Final),ou contentando-se com o segundo posto,se poderia então subir ao Nacional,e aí,cruzarmo-nos também num primeiro trilho competitivo,com formações afirmadas no tempo,e tão sonhadoras quanto nós,em defrontar "os grandes" numa ultima fase para Campeão Nacional.
Tal como mais tarde,subir numa época e desfrutar na seguinte,nem pouco mais ou menos apagava o brilho nos olhos,de um sonho desenhado para quem da audácia fazia o maior argumento,pelo alcance do melhor desejo de vida.
As emoções corporizavam-se no arreganho e no talento,onde a vontade da fazer história não nos largava,até porque se o Peladão era motivante quando se pisava em cada jogo,por ter sido bem alisado,marcado e de redes direccionadas ao vento,nunca assim a mensagem se perderia,por um caminho que nos catapultasse num "palco de sonhos" mais bem conseguidos,robustos e arrepiantes.
Aí,a diferença,variava no bater das chuteiras,onde o amparo e o cheiro a relva,acompanhavam e moldavam a mente,espevitando recursos numa atitude emotiva,que surpreendiam os próprios protagonistas,que embalados pelo eco dos "amantes do jogo" distribuídos pela bancada,mais se expunham aos neurotransmissores da felicidade,que libertavam a dopamina capaz do melhor,ainda que,desafiasse os níveis de ansiedade,que seriam de longe,a primeira batalha a vencer por cada um,e em prol do emblema que carregavam voluntariamente no peito.
Amor,Paixão,Sonho,Devoção,misturados num só sentimento,entre dois palcos diferentes no pisar,mas que ensinavam entre o ter nada,e o conquistar muito do que em alguma vez se pensou ser impossível...

custcruz

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Um de Maio, a data que o tempo nunca pode apagar...


Um de Maio,
a data que o tempo nunca pode apagar.
..

Um hino sagrado,
que no seu dia,
mais faz arrepiar quem desde sempre o sentiu na pele,
o expressou de olhos firmes no deambular da bandeira,
o acompanhou decorado pela subtileza do coração...
Hoje,
ainda vive em mim a esperança de um resgate pleno,
nem que as regras de um mundo se renovem para um sonho de outro,
na certeza de que o bom senso seja o segredo de um querer,
que defenda os valores históricos que comprovam " a Pátria " a que se pertence...
Deixem-me sonhar,
e mesmo que saiba que nem pouco mais ou menos sou expoente do que quer que seja,
tenho no entanto a liberdade de nunca renegar os vultos que por lá me ensinaram,
de transportar para o presente as linhas que cruzaram figuras de proa,
de acreditar que a cada passo pela procura,
mais se faça a aproximação à " Velha Senhora ",
até que um Abraço ou um Beijo sentido,
reduzam a saudade e impelem o reencontro...
Àqueles que só a culpa invoquem,
sugiro que assim apenas deixem de marcar passo,
pois mesmo que as razões os assistam,
perdidos no tempo,
não será solução para quem nunca pode deixar de sonhar...
Unir com o impulso mais forte,
será iluminar os remos que sempre rasgaram na procura da vitória,
será lançar no cesto o triplo do sonho,
será golpear no momento certo as investidas desafiantes,
será apertar com a raquete o lance para um só destino,
será pontapear a bola em horizontes que não a voltem a trair...
Se estas notas do hino sagrado.
nos ensinaram a ter devoção,

pois que assim seja :
À nossa vitória,
Naval,Naval,Naval...
custcruz

terça-feira, 28 de abril de 2020

Ontem,hoje...e amanhã...



Amar a vida,
é muito mais do que contar os passos,
estar contente,
é muito menos do que se ser feliz...

Custcruz

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Coronavírus, uma arma e um atentado contra a humanidade..., Sim ou não?



Ser líder,
nunca é ser dono de nada,nem de ninguém,
bem pelo contrário,só o desfruta verdadeiramente,
quem com muito influencia,mas com pouco o impõe...

custcruz

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Tempo de guerra,dois sacos de plástico,e um só destino...


Rua deserta,
calçada fria,
janelas fechadas,
sol esquecido…

Caminhos livres,
brilhos escurecidos,
almas recolhidas,
sentimentos escondidos…



Solidão espelhada,
necessidades presentes,
passadas cuidadas,
persistência de vida…

Cabeça tombada,
ombros caídos,
pé ante pé,
momentos sofridos…

Bengala ganha,
rumo enfraquecido,
história conquistada,
final perdido…

Mesmo que  não te conheça,
também não me enganas,
olhos fixos  no nada,
de um nada que o é mesmo…

Nascer entre tantos,
abraçando um enorme mundo,
caminhar por muitos,
e ficar sem ninguém…

custcruz

domingo, 15 de março de 2020

O Coronavírus,o sol e a lua,em uma vida por reflectir...


Para além da consciência que se possa concretizar para com este desafio de vida,quem sabe se no retiro de cena,se catapulte em todos a pequenez que representamos.
O mundo,é enorme,o sol ilumina-o na vontade de o dimensionar num brilho tão possante,quanto em cada dia também se possa abrigar no reflexo aconchegante da lua,e se com uma e outra realidade se completa a existência do sonho,abdicar de reflectir nos momentos precisos,é assumir uma pequenez que é real,mas que conjugada no ser,poderia fazer crescer uma felicidade distribuída por todos.

Hoje,é o coronavìrus,ontem,e por cá,foi o Leslie,amanhã,será o que se semear,sim...porque nada disto é por acaso,até porque na certeza porém,estamos mais próximos da China do que pensamos,menos afastados da Itália do que desejamos neste momento,mais dependentes de "outros mundos",do que queríamos,ou melhor,de outras mentes,que param após a crise,e rapidamente se focam em um só umbigo.
Ruas desertas,consciência concretizada,cenário de guerra reflectido,mas medo,também daqueles a quem afinal a vida lhes promete tanto,mas não os deixa de punir pelo excesso de importância.
Tomem-se todas as medidas adequadas à derrota do coronavírus,mas não se aliem da realidade que afronta o planeta,e que por este caminho,em um outro tempo,continuará a adormecer à luz da lua,mas poderá vir a acolher os raios de sol em um silêncio absoluto.
Pois,já o meu Professor Veríssimo,me dizia que por vezes era pessimista no que escrevia,mas como "...a sábia..." que me trouxe ao mundo,tanto invocou a certeza,"...de que este mundo estava perdido..",resta-me alertar humildemente pela procura de uma verdade,que não dê razão a quem tanto amei e sempre amarei,e que por sempre me surpreender no acerto prospectivo,mais acedo e me tento,na preocupação principalmente daqueles que ainda tanto têm para viver e ser felizes...


Obrigado pelas fotos deste fim de semana,das ruas desertas da nossa Figueira,ao José Figueiredo e ao Jorge José,que por um lado me aliviam pela consciência precisa neste tempo de ameaça à vida,mas por outro,me arrepiam e preocupam no que para além disto se possa seguir.

custcruz


quarta-feira, 11 de março de 2020

O Mercado da Figueira,e a diferença perante os grandes espaços,na luta contra quem lhe quer mal......


A Câmara Municipal da Figueira da Foz, baseando-se nas recomendações da Direcção Geral da Saúde (DGS), aprovou o Plano Municipal de Contingência para fazer face ao novo coronavírus. Os procedimentos a adotar visam proteger os funcionários e os munícipes que recorrem aos serviços municipais, aplicando medidas que limitem a interacção entre ambos.

Para além do mais,e no MERCADO DA FIGUEIRA,cada concessionário,vai cumprir ,e no fundo reforçando as já assinaláveis exigências de higiene,com procedimentos que visam proteger-se a si,e a todos os clientes,dando desde já DOIS PASSOS À FRENTE na luta contra o coronavirus.

Optar nas compras,pelo Mercado Tradicional da nossa terra,é ser e viver feliz,onde com o intuito do melhor para a saúde de todos,sempre perdurará o cuidado exigível na higiene e segurança alimentar,e agora,particularizando as necessidades face ao novo desafio,rumar em direcção a mais uma VITÓRIA,face aqueles que gostariam de o ver cair.

MERCADO TRADICIONAL ENG.SILVA DA FIGUEIRA DA FOZ,
DE SEMPRE E PARA SEMPRE.

domingo, 8 de março de 2020

Dia internacional da mulher,ou muito mais do que uma luz entre os brilhos do mundo...



Ser mulher,sempre o será no desafio de cada dia ser reconhecida pela vida,tal igual o homem existe no todo que perfaz um mundo,e onde as boas diferenças se definem fundamentalmente por quem as conquista...
custcruz

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Viver a vida,é semear no mundo as diferenças da alma...



Duas sombras na vida,
uma agarrada a nós,outra acompanhando os passos que escolhemos,uma que termina numa caminhada,outra que permanecerá na expressão sensível de quem nos rodeia,uma concretizada por nós,outra assinalada pela alma do mundo...


custcruz