Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

domingo, 14 de novembro de 2010

A olhar para onde?...

A minha primeira vez...sobre a versão Naval 1º de Maio 2010 / 2011...

A vida tem destas coisas... e por vezes afasta-nos daquilo que tanto gostamos e sempre acompanhámos com grande paixão...
Foi a primeira vez que tive oportunidade e vontade...de ver a Naval em acção(via TV)...e logo numa deslocação tão difícil ao Estádio da Luz...para defrontar um Benfica intranquilo depois da humilhação à oito dias com o F.C.Porto...
A Naval saiu "Goleada"...mas deixou um rasto de reflexão optimista para quem pode ainda acreditar que mais do que olhar já para a segunda divisão...pode isso sim arrepiar caminho numa mudança de atitude consubstanciada na reformulação de estruturas mentais...que a tornem mais consistente e constante durante os noventa minutos de um jogo de futebol...
Excelente 1ªparte...
Vulgaridade de um lanterna vermelha na 2ªparte...
Duas faces distintas num jogo...em que uma equipa em "tempo errado..."anda à procura de uma identidade...e ainda por cima também a sorte com ela nada quer...
Infantilidades próprias de quem não tem ainda processos defensivos assentes e devidamente automatizados...e sobretudo adensados por bloqueios momentâneos de inseguranças ao sofrer no principio da 1ª e 2ªparte do jogo...motivadas de certo por quem deve viver realidades de complicada definição...
É o que faz dois treinadores numa só época...duas estratégias para o futebol distintas...instabilidade estrutural...e uma equipa espartilhada no conceito colectivo...que não se desejava para quem quer marcar pontos de ascensão global...
Já agora...a Naval tem que se tornar uma equipa mais "Guerreira"...e não parecer um grupo de "donzelas"...que encarna a equipa que menos faltas faz no campeonato...e por isso mesmo também é aquela que menos ganha e está de lanterna vermelha na mão...
Não basta mudar de nome para se jogar melhor...de ter tempo de amuar quando não se joga...é preciso esquecer "acessórios" antes de se conquistar algum respeito...
Se a Naval está condenada à descida?...
Acho que não...se mais do que trabalhar em volume...o faça em qualidade...e perceba que a confiança e valor individual também estão lá...e só é preciso(para além de ir fazer algumas compras...) reconquistar os índices de motivação que tão bem transportou para aquela primeira parte no Estádio da Luz...
Como refiro...ir ás compras em Janeiro até pode ser importante...mas ter as peças e não as conseguir articular...só um destino tem dado como resultado ao longo da história do futebol a quem quer ambicionar :
O insucesso nos objectivos a que se propõe...
Ainda há tempo...de os dirigentes acertarem mais nas opções...de os treinadores articularem colectivamente as estratégias adequadas à recuperação...e de os jogadores pensarem que estão na melhor equipa do mundo...e colocarem a bola no fundo das redes de forma mais constante...
Ainda há tempo de construir um conceito de família...que permita manter a Naval 1º de Maio no mais alto patamar do Futebol Português...
Por mim vou lendo,vendo(de ver claro...) e observando... na recolha de elementos que me possam auxiliar na execução de um exercício mental...que construa um diagnóstico realizado passo a passo e que me faça antever o futuro desta Naval na Iªliga...
Vamos ver(à distância)...