Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quinta-feira, 3 de março de 2016

Na solidão dos meus encantamentos...




Tudo o que ficou para trás,ficou...nada se apaga,e muito se viveu na imensa vontade de jamais deixar ofuscar os brilhos de cruzamentos que se catapultaram com a magia de uma bola,mas hoje,todos somos diferentes,como na altura também o éramos,mas não fazíamos questão de o evidenciar,as vitórias eram de todos,a amizade era um instinto preservado,o sonho era um trilho iluminado por um sol ao qual eramos fieis enquanto destino de uma só alma,de uma só equipa,de uma só família.

O mundo rolou e avançou,e cada um seguiu o caminho que a vida lhes sugeriu,que as suas personalidades escolheram,que os desafios da sobrevivência lhes impuseram,na certeza porém,que sempre haverá um espaço reservado na nossa mente,onde o nosso convívio continua,as memórias se amontoam ordenadamente felizes,e por isso o respeito vale o que valeu,e não destrona o carisma de quem vos acena agora lá na frente,mas se faz acompanhar de tudo o que vocês lhe deram...
Aconteça o que acontecer,e por mais afastados que hoje estejamos,só vos posso confidenciar um sentimento de momento,vocês são vocês,eu sou eu,e como o querer continua a ser o meu forte,eu vou vos esquecer é nunca...
Até já...
 — em Na solidão dos meus encantamentos.


Custcruz