Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

terça-feira, 22 de março de 2016

Quanto te entendo Mestre Quinito...










Quinito emociona a plateia Depois do #ReporTv sobre uma das figuras mais marcantes do futebol português, o mundo da bola continua a lembrar Quinito. Desta vez, com direito a discurso do mágico Quinas, no Fórum do Treinador de Futebol/Futsal, que decorre em Setúbal. Entre amigos da bola, Quinito emocionou a plateia depois de falar abertamente sobre os motivos pelos quais se afastou do mundo do futebol.
Publicado por ReporTv em Terça-feira, 22 de Março de 2016


Nem sei o que diga,mas sinto o que ouvi,nem sei o que faça,se escreva ou fique calado,e nem vou alongar-me na vontade,para não ofuscar minimamente o brilho das palavras deste Grande Senhor do Futebol.
Perder um filho,é um drama que nunca mais se apaga,não o acompanhar nos passos de vida quando ele de certo precisou,é muito mais que triste,e por isso não tem definição classificativa que aconchegue o desapontamento pessoal,e ainda que admire a persistência no querer virar o atual resultado de 0-50,tenho a certeza,ora se tenho,que já não o vai virar a seu favor.

Mas se agora estivesse perto do Quinito,dir-lhe-ia baixinho,até pela pertinente observação na dimensão dos afetos que estão à sua volta.
E aqueles que dos quais não eras pai,e os tratavas como tal,e os acompanhavas nos sonhos que ainda assim não ajudas-te "a desenhar" também no teu rebento,sim,é verdade Mister,não compensou de todo,mas tenho uma enorme fé,que o teu filho onde quer que esteja, estará com uma vontade enorme de se aproximar de ti,pelo orgulho mais que visível de que um descuido impulsionado pelo amor(ao futebol),não pode deixar de ter um cintilante perdão,quando por fim dás esta lição de coragem e humildade,e mais do que isso,como um distinto "profeta" que sempre foste,fortaleces os segredos dos Grandes Mestres,para quem o desígnio de vida vale sempre a pena,mesmo que erros se cometam,que nada têm a ver com a falta de carinho para com aqueles vivem mais próximos de nós.
O ser que é,está aqui à vista de todos,e não acredito que apesar do défice de tempo dispensado ao Quinito Júnior,não se refletisse no pouco tempo que passou com ele,por isso,o erro pode ter sido grande,mas não tanto que lhe escapasse enquanto missão de quem tanto se perdeu.mas também fez ganhar muito para a vida de quem em si acreditou.
Por mim,fico feliz com a sua mensagem,porque há bem pouco tempo um amigo meu me pediu um conselho,e eu disse-lhe que ele tinha dois filhos e uma esposa maravilhosos,e que por isso pensasse bem,se tinha condições na paixão que tem pelo futebol,para equilibrar o que era capaz de dar neste momento às duas realidades,e advertiu-o,que logo que não se perdesse,que pontapeasse a bola para a frente,mas que se fosse só sob a batuta do coração,o melhor mesmo,era fazer "contenção de bola",e "atacasse" quando os níveis emocionais estivessem ela por ela.
Desculpe Mister Quinito,acho que me alonguei para além do prometido,enquanto reflexo claríssimo de que quando se ama,os limites perdem-se,mas o seu perdão vai ser certo,e o seu sorriso não faltaria para com quem ainda que dizia não saber o que dizer,nem escrever, "voou" por caminhos outrora navegados,que nos deu uma família que jamais se esquecerá.
Força Mister,se não virar o 0-50.pois que reduza o mais possível,para que o Futebol volte a ser entendido na sua essência,e não aproveitado por quem tropeça num mundo tão redondo,que se embrulha numa perfeição sem histórias para contar.

Custcruz