Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Eu armado em Zandinga : Previsões para o Portugal-Hungria ...


De entre as polémicas dos últimos tempos,vai surgir uma seleção solidária e unida na procura do sonho de todos os Portugueses. 
Os primeiros 25 minutos vão ser avassaladores para os húngaros,e se Portugal não for perdulário,ganhará a vantagem que precisa para gerir o jogo no todo,tendo em Cristiano Ronaldo um "Diabo à solta",que por força dos seus instintos talentosos marcarão uma resposta a todos os que como eu o critiquei,e a quem ele não saberá agradecer,e pelo contrário,fará aquela tão peculiar expressão em que quase morde o lábio,olhando para um vazio do desprezo,que ele nem nota que lho deram com a verdade de factos,que o motivaram a ser o melhor quando a humildade lhe circunda o cérebro. 
Depois,a equipa vai ser uma verdadeira equipa,e não jogará só para um jogador,mas para as circunstancias competitivas que surgirem,aliás como o próprio CR 7,irá pontificar na sua exibição a preocupação de largar mais a bola,e face também à sua condição física algo periclitante,concentrar-se mais na procura do espaço de forma livre e no ultimo terço. 
Nani e Quaresma,soltarão o perfume geométrico na construção e concretização,o setor defensivo terá os apoios sólidos das coberturas na primeira bola adversária,e assim,a objetividade do jogo húngaro morrerá muitas vezes à nascença. 

Com a vantagem ao intervalo,Portugal pode vir a distrair-se nos primeiros momentos da segunda parte,e aí,os Húngaros terão a sua oportunidade de discutir o jogo,enquanto "a Selfie psicológica portuguesa" não der para mais do que alimentar egos que traem a serenidade até dos melhores em campo.

Até final,o jogo será dividido,entre uma equipa que sabe que mesmo assim vai estar apurada,e outra que não quer repetir asneiras que quase desuniam a Família do Futebol Luso. 
Se Portugal vai ganhar? 
Tudo indica que sim,se o Patrício voar sem tremedeiras,e o Fernando ajustar as incidências do jogo de princípio ao fim. 
E quais vão ser elas? 
Tão mister,pense lá bem no Vieirinha,lance no momento certo as alternativas ás opções que agora mais facilmente se esgotarão com o tempo,dando impulso à previsão de queda no princípio da segunda parte,comunique com firmeza e coração o estado de alma adequado para quem representa um povo sedento de sorrir ao bom sorrir,e festejar no final com o orgulho de ser Português,e não do Cristiano Ronaldo,ou de quem quer que seja para além disso. 
Força Portugal,está na hora de mais uma vez se dobrar "um cabo das tormentas",e afinal fazer cintilar aquela frase,de que tudo está bem quando acaba bem... 
Meus amigos,cá estarei no final do jogo para ver se tenho capacidade para abraçar uma nova profissão,ou melhor,"uma nova versão emocional" de sentir não só por sentir,mas de certificar que por mais cota que esteja,que ainda dava muito jeito a muita equipa dos Distritais.... 

Abraço,e volto a referir,não quero gostos,mesmo que gostem,mas desejo que muitos me leiam,porque entre estes,haverá aqueles que mais do que isso também irão sentir o que senti a escrever esta previsão,e por isso mesmo,porque não lhes é estranha a postura que assumo com o Futebol ou mesmo com a vida.

 Custcruz