Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

O mundo das casualidades e o respeito que me dispensam...




Como qualquer concessionário do Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz,tenho direito a uma caixa de correio,com o meu nome,e numero do Módulo Comercial a que pertenço.
Assim sendo:

Custódio Nogueira da Cruz
Módulo 35
Rua Eng.Silva,18

Já há uns tempos para cá,me vão acontecendo "casualidades" tão ensombradas,que por tão hipoteticamente "bem jogadas",as coleciono com muito amor e carinho,pois o respeito com que provavelmente me tratam,ou não,e me têm em conta,são atenções que nunca esquecerei até ao dia em que possa retribuir,perante quem pensa que na essência deste eventual jogo,até se pode esconder no preceito de um vencedor,que só o é,se me conseguir colocar "a guerrear" com quem lhe possa desenhar o verdadeiro V de uma vitória sem festejo visível,mas bem conseguido no objetivo a que se propõe.
Assim,a LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO,enviou uma carta para uma Associação do Mercado,mas extinta há uns tempos,e da qual eu já não faço parte há mais de 4 anos,fazendo o seu peditório de ajuda nesta luta tão pertinente em termos sociais quanto humanos.
A morada "que resolveu"colocar foi a seguinte:

AS.COMERCIANTES DO MERCADO ENGENHEIRO SILVA DA FIGUEIRA DA FOZ
RUA ENGº SILVA-MERCADO MUNICIPAL Nr. 28
3080-150 FIGUEIRA DA FOZ

Esta semana,os CTT da Figueira da Foz(ou não?),colocaram a carta na minha caixa de correio.
Claro está,se eu já tinha sido Presidente desta Associação "em tempos de mil novecentos e carqueja",porque não "tentarem(!!)" a chance de encontrar a dita Associação,através do módulo 35,e do numero 18 da Rua Engenheiro Silva...
De certo que foi um lapso a troca numérica entre o 18,o 35...e o 28,que por acaso é o numero da minha porta na Rua das Parreiras ,onde moro,e não existe Associação nenhuma...
É lógico que eu sou um desconfiado,e mesmo um maluco varrido,pois tem "tudo a ver" uma morada com a outra,e mesmo no rigor com que os CTT agem,até também podem cometer um erro...zito,ou não,pois...quem sabe não foi colocada pessoalmente por algum elemento da distinta e credível Liga Humanitária,por um tal lapso mais que evidente,mas diga-se em abono da verdade,não concludente...


Mas o 28,
é que não dá com nada,
a não ser com "a outra casualidade" de quando no princípio desta luta pelo Mercado,
e no acaso temporal do falecimento da minha MÃE,
lhe foi destinada no cemitério e pelos serviços da Câmara Municipal,
esse mesmo numero 28,
que acho que já o mencionei aqui,
e é mesmo o numero da porta da morada de família,e na Rua das Parreiras....
Enfim,
casualidades refletivas,
ou não...
quem sabe...

O quê,o quê?
Se o meu PAI também já faleceu?
Sim,infelizmente já...
E em que campa do cemitério ficou?
Então!!!
Na 28 ...
Casualmente,claro ficou...
É que desta vez,não fiquei com qualquer dúvida...
Bem,mas que ando baralhado com "os números",lá isso ando...