Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Mercado da Figueira, também uma questão de honra...,




O piso 1 do Mercado da Figueira,tem hoje entre lojas concretizadas em bruto,um cabeleireiro,um consultório médico,uma Loja do Cidadão,e mais recentemente foi ali também instalada a Figueira Parques.
Se assim é,e à conveniência lógica daquele espaço emblemático,se perspetivava o interesse da valorização e dinamização de um projeto que foi delineado e executado para lhe dar vida,a verdade seja dita,e por mais uma vez,por quem não ataca para destruir,mas sim pelo contrário e de forma paciente,abraça os seus anseios vitoriosos como reflexo da razão indiscutível,que desde há longo tempo,a decisão camarária de apenas abrir durante a semana um portão de funcionamento para acesso ao dito piso,era uma aberração semeada por um erro pontual,e que se resolveu prolongar por clara falta de humildade.
Se atingia ainda no meu caso,a possibilidade de comercializar com o meu módulo nesse tempo extra,que por acaso fica no portão histórico,e virado para o Jardim Municipal,muito pior do que isso,é que apesar do Mercado ter um acesso de segurança no primeiro piso,não se revelava capaz de sustentar na certeza,de que em caso de alguma incidência preocupante,fosse suficientemente preventivo para cumprir a lei da Segurança dos clientes,ou no caso,dos trausentes,a quem já lhes basta "o desafio louco",de a partir do portão da beira rio,e único aberto até ás 18 horas,se verem perdidos em corredores vazios e ocos de vida,onde a sinalização ainda por cima se revela incoerente, ou difícil de descifrar.
O Mercado,tem umas escadas rolantes,mas estão no "portão do lado das freirinhas",um dos tais que estava fechado,tem também umas escadas pedonais,no portão do lado do jardim,mas que...pois,também estava fechado,e até tem um elevador,mas escondido num "corredor entre frigoríficos",molhado normalmente no piso,e arrepiante na temperatura ambiente,mas pois...aí não há nenhum portão...
Bom,mas o que lá vai,lá vai,e como ultimamente o acerto é mais presente nas decisões de gestão desta Sala de Visitas da Figueira da Foz,foi com uma satisfação humilde,que pela minha parte,hoje na surpresa vi os três portões abertos até ás 18 horas,a não ser que por agora eu a falar,voltem atrás com a história,na certeza porém,que estes pontos somados a outros,já ninguém mos rouba,e ainda até que amanhã possa morrer sem uma estátua há porta do Mercado da Figueira.
Desistir...nunca,
porque a verdade não se planeia,
acontece...
Obs:
Um funcionário fecha um Portão,
do mesmo jeito que fecha três,
e nem por isso suará por demais a camisa...
custcruz