Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Gonçalo Ferreira,mais um pupilo da bola que se antecipou na ida...



Já por cá não está o Gonçalo Ferreira,e mesmo tendo a certeza que o céu ganhou mais uma estrela,é com enorme mágoa que vejo um lutador da sua estirpe perder "a batalha maldita",que sinto o vazio que agora deixou sem que a sua vontade assim o quisesse,de se afastar da sua muito simpática companheira e seu rebento,que com aqueles sorrisos carinhosos tanto o ajudaram a fazer acreditar numa vitória que afinal não foi possível...
Foi em choque que vi partir um guerreiro que de luvas reforçadas com a sua alma de esgueirão, defendia sonhos com os quais um dia nos cruzámos no mundo do futebol,homem simples,humilde e amigo,impressionava dentro e fora das quatro linhas,por uma mensagem de enorme perseverança,com que se elevava em vôos onde só o céu era limite.
Também afinal,agora foi para lá que se dirigiu,e tenho a certeza que assim foi,pois comigo não há hipocrisias nem no momento do desaparecimento físico,e tudo porque tenho muita confiança nas minhas observações,e não me escapa facilmente o brilho dos bons seres humanos...
Vou sentir a falta das suas idas ao Mercado da Figueira,onde numa bela harmonia familiar espalhava instintivamente aquilo que era fruto do seu ser,não escondendo nada a ninguém,mas acreditando e fazendo acreditar que se era a doença que o destino lhe reservava como um desafio de luta,também era a sua determinação a resposta achada para com quem o interpelava na natural preocupação.
Foi um prazer conhecer-te e contigo privar Gonçalo Ferreira,ter-te como um pupilo do futebol,e um amigo para a vida,ficando agora a esperança de que quem sabe um dia nos possamos voltar a encontrar...
Os meus sentidos pêsames à família,que agora terão que saber lidar com a sua ausência física,mas nunca com a sua presença de espirito.

custcruz