Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 28 de julho de 2010

E agora políticos da nossa terra?...(É preciso reflectir...a Figueira "também" no Verão precisa de "algo" mais do que aquilo que tem...)



Enquanto as novidades não abundam...nem a Figueira brilha...vou curtindo o Verão 2010 com umas boas sonecas...e quiçá a sonhar com um novo rumo para a minha terra...ou melhor...para a nossa terra...
Não basta ter um espaço como o CAE...que congregue iniciativas de assinalável valia na expressão objectiva da cultura de um povo... quando na verdade o verdadeiro povo anda na rua...e é ali que procura conquistar espaço para expressar os seus sentimentos imprevisíveis...e numa razão directa de confrontação com o seu desejo instintivo...
Não vale a pena continuar a esconder...que o investimento que pode recuperar a emoção de uma cidade que já foi um polo atrativo para quem a visita...só pode ser objectado principalmente nas artérias históricas e centros urbanos cosmopolitas da Figueira da Foz...
Foi no Bairro Novo que por força de interesses económicos se perdeu o "Cinema"...foi no bairro novo que por força de "artifícios" fundamentados em manobras especulativas...se perdeu o tecido empresarial tradicional...pelo qual ainda hoje se elaboram motivos de saudade de muitos... e se lamenta a morte do contacto cultural entre gerações...
Foi na Rua da República que se implementaram ideias e "concepções futuristas" e por isso se lhe têm destinado uma morte lenta...
Foi na Praça Velha e na Praça Nova...que também se sentiu as "aberrações económicistas" de um ser humano egoísta e sem paixão pela sua terra...que "descobriu a pólvora" e investiu ou deixou investir só no Norte da cidade...e em caixotes "inestéticos e mal amanhados"... para os quais até se fizeram vias de acesso propositadas...como "benesses de favor" para chinezes ou "portugas" estranhos ao amor à Figueira da Foz...
Foi no Jardim Municipal que fizeram um "atentado à sensibilidade" das crianças,dos meus mais velhos e de todos aqueles que saboreavam os verdadeiros odores e subtilezas de um verdadeiro espaço de lazer e convívio...
É agora...que se prespectiva o "aniquilamento" do Mercado Municipal da Figueira da Foz...em umas obras previstas com inicio para o fim deste ano...e vejam só...onde o dinheiro obtido por fundos europeus e somado(?)...com o estado financeiro de perfeita falência da nossa Autarquia...logicamente só fará parar o único local tradicional e identificativo da cultura e bens históricos da nossa gente...e lesa de sobremaneira quem ano a ano visita esta sala que é de todos...
Se não há dinheiro para obras...se o actual estado económico não permite invenções...haverá para aí alguém que queira tirar partido desta desorientação da sociedade actual?...
Perante estes factos a que aqui apenas faço saliência...pois eles até são do conhecimento geral...porque arriscam a parar o Centenário Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz?..
Digam lá porquê?...
Assumam-se...
Contra factos não há argumentos...e se os há mostrem-nos...
Então Senhor Lídio Lopes e Senhor Miguel de Almeida vão ficar de braços cruzados?
Então Senhores Daniel Santos e Vitor Coelho...não haverá nada para perguntar antes de poder acontecer esse risco mal calculado de intervenção no Mercado da Figueira?...
Então Comunistas e Bloquistas da minha terra...a vida é só feita de partos mal paridos e conversas de D.Tuy?...
Então entre os senhores deputados da Assembleia Municipal da Figueira da Foz...não haverá ninguém de bom senso que faça uma pergunta óbvia :
Onde se vai buscar dinheiro para obras para as quais esse dinheiro não existe?...
Têm medo de quê?...

Não me digam que o verdadeiro povo tem que ir ao CAE...para se sentir bem...
Então imaginem só aquela malta das excursões ou aqueles estrangeiros sedentos de emoções no contacto directo com a forma de estar...pensar... e agir...das nossas gentes...dentro do CAE à procura dessa tal emoção...
Só lá vão se forem obrigados...como me parece que tem acontecido....
Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz...
Sempre!...