Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Há semelhança do Jardim Municipal...o Mercado Engenheiro Silva também fará uma crucificação política...ou talvez não!..

Não resistir ás tentações "do diabo"e hipotecar a tradição,a cultura e a história do Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz será um erro político de palmatória,tão grande ou maior ainda do que aquele que "simbolizou" e deu claramente na recta final das eleições autárquicas de 2009 a diferença na escolha ao executivo liderado pelo Dr.João Ataíde...
Há "símbolos" que até podemos nem gostar,ou porque nem os conhecemos,ou não nos encontramos sensibilizados para os saber identificar,ou até mesmo porque convenientemente nem os queremos entender,mas de facto são algo que "ultrapassa" o foro da mente evolutiva de um qualquer típico ser humano que em tudo interpreta o progresso na base materialista,e depauperado dos valores morais que reflectem a realidade de um aniquilamento tão presente na sociedade actual...
Bem sei que "a vergonha" é algo com a qual também muitos já convivem facilmente no dia a dia,mas sou dos que acredito e até tenho quase a  certeza que "a cartilha" estipulada à muito na política portuguesa tem os seus dias contados,tal as evidências brutais no terreno,e onde os efeitos expostos recaem drasticamente em maiorias, mas agora desfavorecidas...
Servir de "marioneta"e não ficar preocupado com os efeitos é uma gradessíssima patetice, a falta de estratégia pessoal e política mata ilusões criadas  em diferenças que afinal se revelarão tão iguais quanto aquelas que o deram a outras personagens derrotas anunciadas e programadas com tempo.
Aqui fica este meu recado oportuno,escrito por um leigo,reflectido por um idealista,e quiçá até fruto de uma mente louca,e quem sabe eventualmente desajustada a uma realidade que muitos pensam que nunca vai acabar...
Pois eu meus caros...não estou tão seguro disso...