Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

domingo, 25 de setembro de 2016

Ultimo Adeus a mais um verdadeiro Navalista !!!!



A minha vida poderá ser envolta de muitos inimigos.mas com a certeza porém,que outros tantos contrabalançarão "o livro" da existência de quem faz por ser justo,ao não deixar esquecer quem e com quem,valeu a pena ter-se cruzado,não pela regra da hipocrisia,mas sim de uma admiração mútua,alicerçada em valores morais,que cada vez mais escasseiam neste mundo dos vivos.
Jorge Pires de Lobo,foi sempre um Navalista convicto,acérrimo,consciente,e de uma paixão pura ao clube e há sua terra.
Homem de instintos controlados,continha em si a arma poderosa do bom senso,observador incansável,protagonizava o que tinha que ser na hora certa,portador de um coração capaz,recusava a injustiça,e abraçava quem merecia.
Ainda sinto o sussurro das suas palavras solidárias,quando "a bola me atordoava a cabeça",fosse pela vicissitude de uma simples derrota dentro das quatro linhas,ou da minha "inadaptação" às tais regras de vida,onde ele com aquele sorriso resolvia no ignorar do que não valia a pena,mas eu enfrentava na esperança de mudar o mundo.
Ainda aprendi consigo a saber fazê lo,mas...pois é,Senhor Jorge Lobo,e o mundo tinha alguma graça se não houvesse teimosos como eu?
Parece que o estou a ver,de sorriso aberto e sereno,não a condenar-me,mas a respeitar e a admirar a minha persistência e fidelidade pelas escolhas transparentes,que não enganavam na certeza daquilo que não tinha volta a dar,e que ele até reconhecia enquanto certificação de resultados que só a coragem pode oferecer.
Partiu mais um amigo da nossa Naval 1º de Maio da Figueira da Foz,abalou de forma tão tranquila quanto ele era,um ex.Dirigente dos que também o eram na verdadeira acepção da palavra,deixou de fazer parte deste mundo,mais um ser que não deixará de murar no meu coração,pela amizade e sentido de justiça que me dispensou ao tempo,e quando mais precisava para fazer sobreviver o que sou,e como sou.
Obrigado,Senhor Jorge Lobo,e agora repouse em Paz,pois se você tanto a cultivou em vida,decerto a justiça divina lho saberá reconhecer.
Adeus,verdadeiro Navalista!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!