Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Os iluminados e os luminosos,o Mercado da Figueira e o Mercado do Rio...


Os tempos passaram,e as expectativas rolam a uma velocidade avassaladora,as duvidas dissiparam-se,e as certezas esfregam os pés para entrar,pontapeando para já a mensagem de que quem não soma some,dão luz às mentes luminosas,que não refletem e nem amadurecem,e pelo sim pelo não,baixam testas para receber uma benção poderosa,que lhes alimente a chama da continuidade.
Pouco importa "o canto" escolhido,pois se da ultima vez correu bem,e à perspetiva de quem "pregou" alegremente para se ir para um circo,ainda assim,foi substituída nessa intenção,pela persistência do iluminado,que lutou convictamente,e até profetizou,as condições capazes para que no enorme temporal que abriu alas no Parque das Gaivotas,no inverno de 2013,ninguém tivesse levantado voo para parte incerta,quem sabe desta feita,seja mesmo um milagre que salvará luminosamente os espertos da vida...
Depois,é pena,ele é bom rapaz,mas enerva-se muito,e mesmo sem qualquer motivo,dizem que chama nomes ás pessoas,embora aí,por acaso,nunca ouvimos nada,mas se quem o diz,"veste tão bem"...se calhar é verdade...
Coitado,800 euros de multa,nunca ouve uma multa assim na história do Mercado da Figueira...

Mas isso passa,qualquer dia pagamos-lhe uma viagem ao Mercado da Ribeira,em Lisboa,para ver se lhe afugentamos o pessimismo,é que assim,ele constata que "a sala de dança" do Mercado do Rio,é a mesma,para nós e para o People do Grumet...


Se tiver tempo,claro está...
Mas é pena!!!!