Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Um ídolo do Futebol,que partiu enamorado por quem mais lhe moldou o sonho...

Cativam-me as palavras simples,arrepiam-me os pensamentos genuínos,conquistam-me os discursos humildes e perspicazes de quem por amar o futebol,não esconde as verdades que alicerçaram esse mesmo amor.
Foi como correr atrás de um sonho,e aceitar as diferenças do jogo,ser fiel e agradecido aos anjos de uma luz brilhante,mas saber ocupar e reconhecer também,a quem o ajudou no acerto de passos que de um berço com histórias iniciadas,o guiaram ao cume do que mais desejava,fazendo por fim,catapultar certezas que não enganam,e que nenhum verdadeiro homem do futebol deve levar a mal.
Mário Wilson,partiu envolto por dois amores,por dois clubes de carismas fortíssimos,por duas filosofias que se completaram na tal sublime escolha do distinto Capitão,que pode não ser a de cada um de nós,mas nada diferem,pela multiplicidade ajustada da qual o ser humano não deve,em nunca por nunca abdicar da opção sentida...
Certeza tenho eu,que partiu um grande senhor do futebol,onde se pode fazer lembrar o grande jogador que foi,mas muito mais,a postura íntegra de quem não apenas "chutou a bola por chutar",mas percebeu bem cedo,que tinha um desígnio marcante no comando de quem nem tanto sabia controlar os seus instintos...


Despedem-se Académica e Benfica,desta lenda que fortaleceu as suas brilhantes histórias,mas indiferente não pode ficar o mundo do futebol,a alguém que lhe suscitou reflexões,lhe acrescentou a constatação sublime,e assim concretizou feitos de inegável dimensão,onde a mais que ao talento no jogo,se misturou o desejo de não esconder segredos na sucessão de vida,enquanto promessa de como o futebol pode ser e fazer feliz,quando construído com a verdadeira essência dos bons valores,e das boas atitudes. 
Até sempre Capitão, você para mim será sempre um ídolo,e eu serei sempre da Naval e do Sporting...

Custcruz

Grande Capitão Mário Wilson