Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Natal 2009...O momento que tanto temia...

Arrepiava quando dizias..."aprende filho que um dia eu morro..."
Inconformado fazia ouvidos moucos, é que não percebia nem queria perceber aquilo que a minha mãe estava para ali a dizer...
O meu "velhote"repisava..."não sejas parvo que um dia já cá não estou para te avisar..."
Outro!!...
Só me faltava mais "este"... a falar daquilo que nem queria ouvir...
Estariam os dois a ficar malucos?...pensei eu...
Então era tão bom o natal com prendas,com arroz doce,com bacalhau e perú...
Com a família toda junta e mais "alguns" que iam "chegando"...,trazendo ainda mais alegria a esta noite de magia pura onde os corações aqueciam por tão juntinhos ficarem...
Enfim,só podiam mesmo estar a brincar...
E cada vez mais acreditei que era mesmo brincadeira...
De mau gosto...mas era...
Mas fui desconfiando de natal para natal que eles estavam a "tramar alguma..."e que a tal "brincadeira mal escolhida"... era um sério aviso que tinha que perceber e interpretar como uma verdadeira... e derradeira lição de vida...
Desta vez partiram de viagem sem os beijos da despedida,mas conscientes que deixaram lições mais que suficientes para que nunca me perca no labirinto dos abandonados....
Ontem á noite...lá estavam os dois "lugares vazios"... ainda que compensados por "memórias inesquecíveis"... como aquele sorriso doce de minha mãe...ou a impetuosidade do coração do meu pai...
Mas onde é que eu já senti isto?..
Sei lá...
Confesso no entanto que a angustia da separação não desaparece...e a saudade aumenta cada vez mais...
O natal 2009?...
Também foi bom...mas não foi a mesma coisa...
Pois é...
Chegou a hora de entender que os meus pais nunca brincavam com coisas sérias...
Um bom natal para todos...