Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A vida e o futebol...o futebol e a vida...



É sempre difícil ter uma resposta concreta e objectiva quando cada um de nós se atreve a concretizar  a reflexão sobre se no nosso exemplo existencial,saber se a vida passa por nós ou nós è que passamos por ela,ou se nem uma nem outra...
De facto, e no que concerne ao meu caso pessoal, fui como que um "predestinado" à nascença para traçar dois desígnios que me têm acompanhado com a força de duas tremendas paixões:
"...A vida e o futebol,o futebol e a vida..."
Sempre entendi e procurei fazer entender que um e outro domínio se confundem e "tresmalham" á medida que o tempo passa,mesmo sem poderem conviver na verdadeira essência do jogo puro,do jogo pelo jogo,mas pelo contrário caminhando viciados e onde não ganha quem corre mais,não "cresce" quem mais sabe,e já nem marca um golo quem remata melhor...
Vence isso sim,quem se adapta e é capaz de aceitar regras estabelecidas sem originalidade nem senso criativo,e por aqui, encontro a principal  razão da minha verdadeira "limitação materialista", onde por isso mesmo se reflecte o poder económico que não me dá o conforto da disponibilidade financeira,o que me permitiria de certo como a outros, passar também mais ao lado das famigeradas crises sociais no mundo...
Enfim,se por um lado corri sempre de "paixão assolapada" atrás de uma bola redonda,por outro deixei-me "encantar" pelo seu "sentido imprevisível",e se calhar por isso não a soube dominar convenientemente,podendo optar por ter executado cópias de gestos técnicos "rebatidos e previsíveis,mas muito longe da minha verdadeira essência.
Assim, teimoso por aqui fico de mente fixa neste silêncio que considero só meu,procurando perceber no que  "os outros" tenham razão,ou talvez não...
Na vida tenho dificuldade em saber viver sem a "força do coração",como no futebol arrepia-me e revolta-me a "habilidade técnica" da hipocrisia,
consola no  entanto a certeza,de que ficaram os amigos e amizades genuínas de muitos que me seguiram em alguns princípios,e que ainda hoje fazem uso da reflexão induzida, ou melhor,provocada nos seus trajectos humanos...
Pronto fico por aqui,vou-me deitar,e até já sei como vou fazer depois de acordar bem disposto amanhã,dou corda aos sapatos,e deixo que eles percorram de novo os caminhos como quiserem e bem entenderem...
Os meus olhos vão continuar a ser sensíveis a quem me rodeia,agindo sempre em conformidade com a minha consciência,o meu coração vai continuar a ficar ao lado da minha razão e não da que outros "guardaram" para o "meu futuro promissor",e só para acabar:
Será que os "poderosos de bolsos cheios" sorriem todos os dias?
Pois é,se calhar até não,pronto já vi tudo,estou tramado,não vou mesmo a lado nenhum...
Ou vou?...
Bem,fiquem bem,que eu também poderia estar pior...

cnc