Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

domingo, 8 de agosto de 2010

Mensagem de esperança na projecção de uma outra forma de agir...



Eu sei que é difícil,mesmo muito difícil,mas por mais que a vida nos corra mal sempre devemos equacionar um outro ponto de partida para reiniciar também um outro caminho da esperança,assim como viver várias vezes na mesma vida e sempre insistindo em dar brilho ás coisas que se escondem no nosso pensamento,enfim,como dar liberdade àquilo que vive fechado dentro de nós e nos pode erguer para uma perspectiva mais consentânea com a nossa forma de ser e de estar...
É como fazer uma pausa de costas voltadas para aquilo que já se fez,e imaginar aquilo que tanto gostaríamos de fazer,é como confrontar o silêncio da nossa imaginação e deixar que ele nos dê novas soluções,e isto tendo sempre presente que o que foi feito já não se pode apagar,mas ainda assim pode brilhar de uma outra forma,de uma outra maneira,quiçá até em gestos redentores e conciliadores com o mundo...
Perceber aquilo que não precisamos de mudar,mas dando uma dimensão mais substancial a outras opções que outrora tomámos e não foram as mais adequadas,não mudar por mudar,e até  mesmo manter o caminho consistente de afirmação dos nossos princípios,mas como quero acreditar,onde a tolerância conquiste o terreno do desejo naquilo que nunca soubemos equilibrar na nossa atitude de vida...

De olhos postos no pôr do sol fortalecemos a alma e crescemos abraçando o mundo,alimentando "um novo caminho" se pode adiar o sentimento da despedida...
CNC

Nunca é tarde para se ser ou voltar a ser feliz,quem sabe !