Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz(Parte 1)...Verdade ou Consequência?...



Sejamos realistas...se a requalificação do Mercado Engenheiro Silva avançar...à verdade comprovada da falta de condições financeiras da Autarquia...a consequência lógica e iminente será "parar" este espaço tradicional e histórico por tempo indeterminado...
E meus caros...a quem interessa este cenário?...


A ninguém?...

Isso não sei!..
Ou será que consigo adivinhar?...
Bom...vamos por partes...
A quem não interessa de certeza é :


Aos comerciantes que dali fazem vida e que perante essa possibilidade real...vão sentir na pele o desmoronar de estruturas de negócio criadas ao longo dos anos...e que não terão viabilidade sustentada num cenário desse tipo...

À Figueira e aos Figueirenses...que vêem o "último reduto"de cariz tradicional e histórico encerrado...e que com um aumento natural e significativo de "assédio capitalista"...poderão ver "ameaçado" o futuro comercial daquele espaço...criando-se mais uma vez perspectivas descaractrizantes e insensíveis ao respeito pela história de uma cidade e de um concelho...

Estas serão as verdadeiras vítimas...que unidas são o verdadeiro POVO...e no fundo aqueles que no fundo expressam o verdadeiro amor à Figueira da Foz e melhor lhe querem...

É por estes...e logo também por mim...que estou decidido a arriscar tudo o que for preciso...para que o bom senso impere...e o realismo de atitudes na gestão desta "situação melindrosa" possa servir fundamentalmente a Figueira da Foz...

Ninguém pode condenar ninguém...dos que agora governam...por admitirem não ter condições para um objectivo que se pensava possível antes de se deparar com a situação caótica das finanças locais...e antes de também a crise económica tomar conta do mundo...e assim colocar restrições e calculismos adequados a tudo o que seja gerir com pouco dinheiro...

Esperamos o bom senso não só de quem governa...mas também de quem está na oposição...pois todos sabemos que estando os interesses da Figueira da Foz em jogo... todos também temos o dever...de não deixar que cenários mais que previsíveis possam ser um pesadelo para a nossa terra...

Neste momento...o silêncio é mais que muito... e perfeitamente desadaptado a uma trajectória sólida,segura e normal...por um procedimento interventivo que necessitava de um planeamento cuidado e capaz de assegurar ás pessoas interessadas...a certeza de uma menor oscilação no desenvolvimento das suas vidas profissionais imediatas...

Só se pode interpretar este "cenário silencioso" e "nada activo"...como uma consequência lógica e consciente de quem já verificou que com tantas dificuldades financeiras não pode inventar...o desejo naquilo que não tem bases de sustento para se concretizar...e não é prioridade para uma Figueira a precisar de tanto... e que assim não pode esgotar recursos num espaço intervencionado à uma escassa dezena de anos...

Esperemos que assim seja...

Pois ás necessidades daquele espaço...acredito há mais marés que marinheiros...para poderem ser concretizadas...