Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

domingo, 9 de janeiro de 2011

Assim foi mais fácil...e sem qualquer sofrimento...


É verdade...não tive oportunidade de ouvir o relato do jogo Guimarães-Naval na sua íntegra...
Quando o pude fazer através da 99.1 (e via Rádio Fundação de Guimarães)...do outro lado da linha...dizia "tipo"uma secretária do D.Afonso Henriques:
"Não senhor...isto não é penalti...estou aqui a ver na Sport TV...e como quase sempre não tenho dúvidas...e raramente me engano...não ouve mesmo falta nenhuma...
Ok...e eu queria lá saber se a "tipa" tinha dúvidas ou não...o certo mesmo é que a Naval ia beneficiar de uma grande penalidade...e só me faltava saber também qual era o resultado naquela altura...
Fábio Júnior (o próximo encaixe financeiro da Naval...)...não perdoou...e o "relator vimaranense" lá gritou o golo de forma contida e contrariada...informando-me de seguida que a equipa agora treinada por Carlos Mozer...empatava a contenda mesmo a jogar com dez jogadores...
Nada mau!...
Já faltava pouco para o final...e soou-me bem a substituição logo de seguida com entrada de um avançado(Michel Simplicio) para o lado do Marinho...mesmo que eu tivesse a fazer um exercício de cor e salteado e consubstanciado apenas na soma de realidades possíveis...não seria de todo despropositado que atendendo à diferença de pontuações e objectivos de uma e outra equipa...o Vitória mesmo empatado iria de certo perder a cabeça e avançar no terreno à procura da reviravolta...
Mas o certo também...é que nem todos os "têm no sítio"...para destemidamente apostar em alguém que é capaz de ajudar a defender bem o meio campo...e que tem a capacidade inata de desequilibrar e poder fazer sonhar o "êxito total" no contra-pé...e isto a jogar com dez unidades...
Bom...e o jogo lá corria para o fim...
O Dr.Machado...mandava avançar as suas tropas...e os "amarelinhos" da Figueira cumpriam a profecia...com um belo golo de Marinho(que desta vez jogou a titular...)e numa jogada típica de contra-ataque...
Assim...a Naval voltava a fazer uma gracinha em Guimarães e eu em poucos minutos ouvia a equipa da Figueira a dar a volta ao jogo...com muito pouco sofrimento...ou mesmo quase nenhum...
Sou um tipo cheio de sorte...
É que assim é mesmo muito mais fácil de acompanhar um jogo...acerta-se na hora dos golos e pronto...
Se a Naval vai descer de divisão?...
Sei lá...espero que não...