Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Mercado da Figueira na "Feira de produtos tradicionais e em promoção da agricultura biológica e medicina natural"



Feira de produtos tradicionais
promove agricultura
biológica e medicina natural


Começou com 16 participantes, todos certificados, a “Feira Saudável e de produtos tradicionais”, promovida pela autarquia, com os apoios dos lojistas do Bairro Novo, Figueira Grande Turismo (FGT) e Junta de S. Julião. Mas em breve terá mais vendedores, que aos domingos passam a ter como ponto de venda o Meeting Point, junto à Esplanada Silva Guimarães.
(in Diário de Coimbra)

Pois é...não nos convidaram...nem nos passaram "cavaco"(salvo seja...)...mas na verdade entre os participantes deste certame...lá aparecemos nós como que por encantamento...e assim ficou mais uma vez certificada a qualidade dos nossos produtos tradicionais...e que todos os dias vendemos neste espaço...certificando assim também a razão pela qual marcamos a nossa diferença e consubstanciamos a denominação mais que justificada da "Sala de Visitas da Figueira da Foz"...

Ora aqui vai só um exemplo dessa participação tipo "outsider"...nesta ideia que não deixa de ser interessante por parte dos nossos novos autarcas...que parecem revelar um carinho especial pelos produtos naturais,tradicionais e biológicos...


Problemas diferentes tem António Oliveira, cuja família desde 1962 se dedica às famosas rosquilhas e bolos de Alhadas. «O problema é a continuidade, este é um negócio de família que não queria que acabasse e gostávamos que aparecesse gente que se interessasse na continuidade», refere ao nosso Jornal, adiantando que aderiu à iniciativa «para divulgar o produto e a terra e tentar que a actividade se mantenha». A seu lado, o presidente da Junta de Alhadas defende que são estes produtos que deram fama à terra «que ainda a caracterizam e diferenciam».
(in Diário de Coimbra)

Pois é...são tantas as vezes(todos os dias...) que me delicio com as ditas rosquilhas e bolos das Alhadas vendidas pela Céu e pelo ti António...que assim divulgam produtos do nosso concelho e nomeadamente das Alhadas...

Esta feira, que, quinzenalmente será animada por diversas actividades culturais e recreativas (ontem actuou o Rancho Rosas de Maio de Santana)...
(in Diário de Coimbra)

Pois é...senhor Pedro Malta...até acho bem e muito propositado este tipo de apoio a uma iniciativa desta natureza...mas olhe...diga-me lá uma coisa...é que sabe...anda-me aqui atravessada na garganta aquela sua decisão de nos deixar de apoiar com os gaiteiros que animavam o Mercado da Figueira ao fim de semana...e isto pela mais que justificada razão de falta de verba...
Para nossa surpresa...os "ditos" passaram a actuar de forma desinteressante pelas artérias da cidade..."esganiçando-se"de forma desesperada em cantorias que não podiam resultar pela falta de envolvência só caractrística de espaços como o Mercado Engenheiro Silva...e não em artérias da cidade onde aquele tipo de som e intervenção não têm qualquer tipo de eco...
Sabe...por lá não há peixeiras e vendedeiras...e assim o baile improvisado nunca pegou...

Pronto...a prosa já vai longa...e entre uma ou outra farpazita...ora cá estou eu bem ao meu estilo...a apreciar o que é de bem...e a questionar o que me parece enublado e pouco esclarecido...
Já foi assim...com a DrªAna Redondo...e continua igual com o Dr.Pedro Malta...já foi assim com o Dr.Lídio Lopes...e segue para bingo com o Dr.Carlos Monteiro...
Quem eu?
Já sei...que não vou a lado nenhum com este meu mau feitio...
De qualquer forma...fiquem bem que eu também não vos quero mal...