Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Cada vez estou mais entusiasmado com o debate de ideias das Presidenciais 2011...

Não vou fazer grandes considerações ao conteúdo de debate usado por cada candidato à Presidência da República(pois nem vale a pena...),já que este tem tido um teor tão negativo e conspurcado...que mais não é do que um "espelho fiel" das razões pelas quais o nosso país se encontra num perfeito estado de sítio e mergulhado num poço profundo...de onde sinceramente não vislumbro perspectivas de saída para voltar a ver brilhar o sol do nosso contentamento...
Pior ainda...seria assim repetir palavras e sentimentos...que têm vindo a amontoar a revolta de quem é convidado daqui a pouco tempo...a votar para ter um líder que se pretendia justo e capaz de neste momento de crise assumir responsabilidades em volta dos mais desfavorecidos...que são aqueles que mais impávidos assistem...a uma troca de galhardetes "mal cheirosos" que cada vez mais provam que Portugal estará em crise por razões externas...mas muito mais por razões de ordem interna...
Ou muito me engano...ou o "partido da abstenção" ganha cada vez mais terreno nesta luta eleitoral(!)...e assim...se fortalece a tese de que as pessoas estão cada vez mais a desacreditar neste sistema político...que agora se revela também cada vez mais adulterado e incapaz de seguir um rumo forte e determinado no intuito de uma almejada unidade...apta a congregar esforços em torno de um país que jaz tombado a um destino de previsível fatalismo...
O certo é que ninguém anda alegre com esta campanha...nem passa cavaco aos politiqueiros do costume...que quando se zangam que nem comadres de baixa moral...descobrem verdades...meias verdades...e pseudo-mentiras...que não esclarecem nada...e se calhar até esclarecem tudo...
Enfim...e nós a vê-los passar...
Haja paciência...