Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

terça-feira, 5 de abril de 2016

Promessa...

Sete anos depois,sete meses,sete dias,sete horas,sete minutos,sete segundos,e não consigo encontrar o espaço que separa o nosso amor,e pelo contrário.minha MÃE,cada vez mais se aproxima uma estrela de uma luz tão intensa,tão brilhante,tão protetora do que fomos,do que somos,do que nunca por nunca deixará de ser...
Repito vezes sem conta os teus afetos,e a falta que me fazem,por entre alguns sussurros cruéis que te acusam de uma proteção desmedida,pois quem sabe,amar não é igual para todos,e esta repetição de apelos sejam a diferença que estes nunca conheceram...
Não sei,e nem quero saber,pois é assim que alimento um brilho que um dia me levará para junto de ti,que cumprirá a promessa que em um tempo me ensinaste,enquanto fé inabalável por um fim em que seremos sempre nós a conquistar,e na elevação do que somos,venceremos na vontade eterna de quem nunca nos largou...
O nosso poema,será o sinal que nos guiará ao reencontro tão desejado,e por isso,sempre o soletrarei em cada esquina de vida,para que saibas onde estou,por onde caminho,para onde me dirijo,sem nunca me perder do cordão umbilical que de todo ninguém o dividiu,naquilo que o coração quer,e nós não o sabemos dispensar...

Mãe

Espalhou-se no tempo,
e esvaziou-se no imenso ar...
flutua no vento
e sinto que a estou a tocar!..

Já não a vejo,
nem aqueço essa ilusão,
apenas sei
que a encontro no meu coração!..

Nunca de certo perder te vou,
por doces lembranças que ninguém detém,
este silêncio ninguém mo tira,
e assim perto de ti...
sempre estarei...

Como um manto branco estendido na mente,
tão doce e amargo,
tão frio e tão quente...

Num gelo de sombras fito teus olhos escondidos,
naquele olhar...
que apenas se sente...

Por aqui estás
e por ali andas...
Numa breve brisa que sei de onde vem,
como sempre foi
e sempre será,
o carinho de minha mãe!..
Custcruz

Até já...