Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sábado, 14 de maio de 2016

Mais um tudo ou nada,para bem da Naval 1º de Maio e da Figueira da Foz...


Atenção : Mudança de hora :  15 horas

Será Domingo,o dia de todas as decisões para o Futebol Sénior da Naval,mais do que isso,para não se deixar perder o alento preciso para que uma Nau que navega em mares turbulentos,possa perfilar numa rota que rejuvenesça a alma de um clube,que corporizada nos seus associados,e nos seus simpatizantes,poderá remar em direção a um destino que seja mais um recomeço daqueles a que a vida sempre nos exige,como forma de persistentemente responder as adversidades,que nos querem separar das emoções que mais nos podem fazer sorrir.
Todos somos importantes,e até aqueles que no jogo dos Juniores do passado Sábado,estiveram refugiados nos carros,e que tão criticados foram por alguns inconscientes Navalistas,que os subalternizaram para uma escala hierárquica não comparável com eles,demonstrando pouca sagacidade intelectual para quem precisa de unir e não dividir,numa altura em que este clube deve adaptar uma estratégia de cativação,e não de desagregação ainda maior do que a que já se verifica,
Ser Navalista,não é bater com a mão no peito,mas sim abraçar todo aquele que se predisponha a voltar a estar presente no dia a dia do clube,porque muitos dos que se refugiaram nesses mesmos carros,até já estão impermeabilizados há muito por cargas de água que colecionaram,por quilómetros que percorreram,por lamas que os "conspurcaram",enfim,por uma série de condições,que ainda por cima não tinha qualquer compensação que valesse a pena.
Todos são importantes,e como neste caso, o Bento Pessoa até tem bancada,não estou a ver que desta feita alguém fique dentro dos seus automóveis à espera do resultado.
Depois de aqui deixar um recado humilde e construtivo,a quem lhe sirva de reflexão no pressuposto que mais pode definir um bom Navalista,voltemos ao jogo "do tudo ou nada",onde pegando na máxima,de que "mar calmo não faz bons marinheiros",e sabendo-se que a Naval é composta por atletas que só podem ter da nossa parte a maior admiração e respeito,por se dever atender às suas abnegações em prol de um emblema pelo qual dão tudo,sabe Deus como,e não virando a cara à luta,na firme convicção de salvar o clube de um cenário muito preocupante,
Força Pedro Ilharco,e seus pupilos,tenho a certeza que Domingo,todos nós  iremos de novo sorrir e festejar,para bem da nossa prestigiada coletividade,e da Figueira da Foz.