Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Naval 1º de Maio no tudo por tudo pela 1ª Divisão do Nacional de Juniores...


Serão de certo muitas as emoções que se irão distribuir no próximo Sábado pelo Campo de Treinos do Municipal José Bento Pessoa.
Uma equipa que tem feito uma época exemplar em termos de formação,merecia a cereja no "topo do bolo",mas para isso é confrontada agora com um jogo que pode valer tudo,ou nada,ainda que também já nada se perca no que de bom cada jogador aprendeu e cresceu nesta época de 2015/2016.
Que os seus níveis emocionais sejam controlados pela vontade de serem iguais ao que já estão fartos de nos mostrar,e que não se deixem levar em tremedeiras despersonalizadas das expetativas que tenho em convicção,e de certo nos irão dar bons jogadores para a próxima época,seja em que categoria for.
Eu sei que é fácil falar,mas também sei que se não forem protagonistas na audácia de não ter medo de ser felizes,no final do jogo estarão a carpir mágoas que não terão retoma,que vos farão chorar,que vos farão sentir frustrados por já terem provado a vossa qualidade,e agora a merda de um tal medo mais provocado por quem não vos quer bem,nem há Naval,até não vos tira o ABRAÇO dos VERDADEIROS NAVALISTAS,mas condiciona a natureza desse gesto.
Querem um ABRAÇO FORTE,APERTADO e carregado das estrelas que vos irão iluminar na diferença que tanto todos desejamos?
Então fodass,entrem em campo e sejam iguais a vocês próprios,rebentem com os limites de tudo o que precisarem para estar controlados,e deem mais ainda em cada remate ou pique,concentrem-se sem o treme treme dos putos,e no final encontrem-se com a vossa consciência no que perderem ou ganharem,porque nessa condição,não há resultado nenhum que negue a evidencia do quanto vós sois uns vencedores,e o orgulho de quem,e somos muitos,está ao vosso lado,aconteça o que acontecer.
Perceberam,RUI MATOS,NUNO ANDRÉ,SANDRO MOÇO e COMPANHIA...

Olhem para o vosso Treinador Marinho Serpa,e certifiquem o amigo e bom treinador que têm,boa sorte rapazes,e se por acaso por aqui aparecer algum de vocês,só espero que entendam a vontade de quem vos observa e apoia,e quem sabe até vos ajude a não esquecer que...

"Que o homem que não controla as suas emoções,não é seguramente melhor que o outro..."cnc


Era assim...



Era assim o primeiro teste para quem era meu jogador

e fazia parte da nossa equipa...



Eles não sabiam que os observava sorrateiramente,

mas os primeiros indicativos tinham que estar ali...
Eles sabiam bem e reconhecem hoje aquilo que nunca os mandei fazer,
mas que tinha que acontecer...

Aquele abraço no início de cada jogo
encobria o amontoado de mãos solidárias...
O bater estrondoso dos seus corações faziam adivinhar um grito enérgico
e emanado de um meio de corpos contra corpos,
de almas contra almas,
mas que apenas desenhavam uma só...

Os primeiros juntavam-se de forma firme e convicta,
e os outros que nunca podiam ser outros,
uniam o círculo fraterno de um eixo em que todos
esmagavam mãos sobre mãos...

O grito sonoro soltava-se aos quatro cantos,
e a plateia aplaudia com incentivos de vitória,
como clamando por um final de festa...

Entre mais um abraço e um pique,
e um outro grito de raiva de cada um
e para todos,
como que me acalmava a alma...

E aí sim,
sentava-me tranquilo no banco,
e fitava cada um deles sem sorrisos hipócritas...
Não valia a pena esconder,
eles conheciam-me e eu conhecia-os a eles...

O momento era de tensão
e o desafio era o controle de emoções,
que não se fazia de sorrisos nem de displicências ocasionais...
De resto,
também tínhamos outra certeza,
que no final acontecesse o que acontecesse,
a nossa amizade era muito,
mas muito superior a qualquer decepção de um percalço
que nunca se podia somar a outro...

Custcruz