Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Qual é o numero da tua camisola?



Nunca por nunca me vencerão,porque serei eu mesmo a lembrar "os poderosos" que me afrontam,que "o numero da camisola" que visto,já lá vai na frente sem o tempo com que vós sois manipulados,por isso derrotados na vontade de ser quem são,e de caminhar nas escolhas que gostariam de conhecer.
Dizeis vós então,que irei acabar mal,na miséria,com poucos companheiros de viagem,perdido entre silêncios que não me darão nada,a não ser isso mesmo,a solidão dos que não alinham na hipocrisia do mundo.
Pois é,mas para que essas vossas certezas se conjuguem com o que vocês valem,teríamos que conhecer as maleitas que vos afetam,descodificar os vossos sofrimentos nos sorrisos espalhados ao vento,perceber se o vosso viver o é,ou apenas sobrevive em sepulcros que vos antecipa o fim a cada passo,com quase tudo o que ambicionam,mas com o nada do que eram capazes.
A vida,é um desafio,o materialismo,é um meio que abre escancaradas as portas de uma ilusão que engorda,faz vestir bem,apruma brilhos de um poder que alicia,mas nunca se precipita sem as contrapartidas de uma essência que sufoca sem se revelar.
Nem tanto ao mar,nem tanto à terra,e se ventos há que nos empurram,brisas existem,que não deixam de soprar no consolo da alma,se reconhecer nos aproxima de uma verdade inconveniente,olhar em frente encoraja-nos para uma vitória que nunca o é de todo,mas que também não se conjuga com derrotas previstas por quem nunca se conquistou a si próprio.

Custcruz