Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

A emoção do regresso ao passado...como uma possível estratégia de futuro...

Faço as minhas caminhadas sem hora certa nem dia combinado...
Faço afinal de contas como em"quase tudo na vida"... enfim...aquilo que quero e bem me apetece...
Até não me importo de escolher "por vezes" passeios onde normalmente me cruzo com gente,umas que apenas conheço e outras que até me cumprimentam efusivamente...outros ainda há...que até me ignoram ou nunca me conheceram de lado nenhum...
Mas o facto é,que passo por "momentos pouco atentos" em termos de informação realizativa de eventos que até me podiam animar nesta fase tão difícil da minha vida...
Vai daí...depois de passar o "Fim de Ano" em casa e essencialmente a dormir,levantei-me e depois do duche da ordem e um almoço ligeiro,toca a caminhar de olhos postos no Rio Mondego... Mais à frente... recrio a mente nas invasões francesas quando me cruzo no caminho com o forte de Santa Catarina...
Mas eis que...começo a ouvir um "roncar"acompanhado de "sons de risco" por uma perícia automóvel que eu bem identificava,refrescando os meus sentidos de tempos distantes e bem vividos por quem gosta da figueira e não esquece as suas tradições e culturas...
Era o reeditar de um animado Rally de Fim de Ano,onde como nos tais tempos passados uma multidão de gente delirava com uma gincana de velharias fabulosas, que puxavam pela emoção até de quem não apreciava este tipo de desporto automóvel.
O "spiker" aprumava a história do evento,espalhava na avenida explicações pedagógicas de algo onde a competição até não era o mais importante,dando mesmo mais valias ao estado de conservação dos bólides todos eles de"mil novecentos e carqueija"...
O certo é que todos sorriam e estavam satisfeitos... e foi bom voltar a sentir da emoção desta iniciativa que alegrou de modo galvanizante milhares de visitantes nesta época festiva... e que sem duvida dignificou a alma figueirense...
Afinal nem tudo foi mau como referia o galvanizado "spiker" de serviço... referindo mesmo a "validade de um acordo" com o S.Pedro na organização para que o sol não fosse ausência...e assim fizesse cristalizar o brilho desta autentica festa de tradição figueirense...
Tradição, cultura e respeito pelo passado, pode ser uma "mais valia estratégica" para voltar a colocar a Figueira da Foz no mapa de preferências turísticas ... e olhem meus caros... apenas estou a falar de "aplicação de uma filosofia" em tudo o que se faça,se altere ou idealize nesta cidade... onde por enquanto ninguém ainda nos conseguiu roubar o Rio,a Praia e a Serra...
E por isso mesmo... ainda estamos a tempo de voltar a ser felizes...