Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

domingo, 6 de novembro de 2016

Antevisão do Benfica / F.C.Porto,ou o esforço improvável...


Com cinco pontos na dianteira,o inegável é constatar que os Benfiquistas entram no retângulo do Dragão,com mais valias psicológicas que lhes dão muito de vantagem na postura precisa para poderem fazer afirmar o seu melhor acerto até a esta altura do campeonato,e nomeadamente em relação aos seus mais diretos adversários,na conquista do único objetivo que pode saciar verdadeiramente a gula "dos grandes" do Futebol Português.
Certo no entanto,que um Derby tem nuances de um cardápio de cariz mental,que podem virar a lógica das coisas,e isto em incidências inesperadas para o visionista pragmático,que muitas vezes adora futebol,mas nem conhece um balneário,que vive o dia a dia dos protagonistas,mas nunca se aproximou deles,que se deixa levar por envolvimentos matemáticos,mas é surpreendido pela pouca necessidade de sacar a caneta e o bloco da carteira.
Á priori,tudo nos leva a acreditar,que a serenidade e tranquilidade acrescida de Rui Vitória,pôde transportar para a preparação desta partida,a vontade da primeira conquista do jogo,onde os seus jogadores,e ainda que cientes de que errar neste jogo,nada alterará no trilho de quem quer ser Campeão,sabem que o desafio de quem também não pode deixar de continuar a ser sempre maior,não se compadece com admissões calculistas,que apenas podem definir os melhores,mas nunca os que marcam a diferença.
E se o Futebol Português,é um trampolim para a Europa das boas oportunidades financeiras,e se hoje,é esse "sonho louco"que comanda o subconsciente dos "artistas da bola",não estou a ver que com "margens de espera",se possa melhorar currículos em detrimento da oportunidade de brilhar num palco,onde as suas incidências vão ter olhos múltiplos,e sedentos de novas confirmações ou descobertas,deste jogo de paixões tão distintas,mas tão iguais na procura dos brilhos que emocionam quem tanto lhe quer.
O F.C.Porto de Nuno Espirito Santo,apresenta-se na máxima força,e espera-se que a explicação que o Mister azul e branco protagonizou há dias numa conferencia de imprensa,em que traçou as bases fundamentais de um jogador à Porto,e de uma equipa capaz de sonhar alto,possam confirmar-se de todo,na certeza porém,de que também este tem um desafio determinante,e que é o de ligar almas de um momento,também em uma só,para que nenhum dos compromissos coletivos falhe na prática.
O Benfica, com: Ederson; Nélson Semedo, Luisão, Lindelöf e Eliseu; Samaris, Pizzi, Salvio e Cervi; Gonçalo Guedes e Mitroglou
mas sem poder optar por : Jardel,Grimaldo,Fejsa, Rafa e Jonas,poderá sentir-se mais fragilizado nas opções,mas com isso não vive uma realidade determinante para os seus anseios,pois quem lá está dentro,quererá dar ainda mais,para no minimo se afirmar como opção continuada.
E mais,é nestas circunstancias,que uma filosofia de jogo muitas vezes não se descaracteriza na base,e se fortifica na humildade,que lhe faz acrescer méritos coletivos capazes.
O F.C.Porto,vai jogar com : Casilhas,Maxi Pereira, Marcano, Filipe, Alex Teles,  Danilo, Oliver ,Octavio ,Corona, Diogo Jota e André Silva
ou seja, na máxima força,e por mais subjetiva que seja esta afirmação,esta é a opção para este desafio,que está quase a começar.
Por mim,fica a ideia de que,o Dragão,vais fazer as honras da casa,e começar bem cedo no assalto ao castelo,contando voltar a ver brilhar André Silva e Companhia,para colocar cobro a uma irregularidade,que a tem colocado em demasia contra os árbitros.
 Já a Águia, se refugiará de forma calculista,inspirando-se na paciência,para que o virtuosismo de Sálvio,Vitor Guedes e Mitroglou,possam marcar a diferença,nem que seja aos 94 minutos(Rui Vitória)...
Ai,ai...Rui Vitória,o que uma expressão na antevisão pode dizer tanto das tuas intenções,e sabes que mais,tolher e fazer esperar em demasia,por aquilo que pode ser determinante antes disso...
Bom,vamos espera para ver,e que vença o melhor...