Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sábado, 12 de novembro de 2016

"Não tenham medo de Trump", diz Snowden


Isso mesmo,não tenham medo,preocupem-se isso sim com o futuro do mundo...porque são os nossos filhos que estão em causa...
Defendam os vossos direitos sem medos,com coragem,com determinação...mesmo que nos custe a vida...

Custcruz

© Fornecido por Jornal de Notícias
O informático apontou como exemplos a chamada "lei Big Brother" aprovada este ano na Rússia e que obriga as empresas 'online' a armazenar os dados dos utilizadores e a transmiti-los às autoridades se estas os pedirem e a nova lei de vigilância em massa aprovada na China.
"Este é um momento negro na história do nosso país, mas não é o fim da história. Se trabalharmos juntos, podemos construir algo melhor e ter uma sociedade mais livre e mais liberal para benefício de todos", disse.
Snowden, que os Estados Unidos querem julgar por espionagem, disse por outro lado não estar preocupado com a possibilidade de o presidente russo, Vladimir Putin, aceitar extraditá-lo quando Donald Trump assumir o cargo.
Embora fosse "um disparate pôr de lado" a ideia de que Putin podia fazer um acordo para o extraditar, disse, se a sua própria segurança fosse a preocupação principal teria permanecido no Hawai, onde vivia pacatamente antes de revelar os programas de vigilância.
"É claro que me preocupo com o que me possa acontecer, mas eu sou a parte menos importante disto tudo. Isto não é sobre mim, é sobre todos nós", disse.