Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Luis Grilo,um Figueirense,entre a paixão pela bola,e tudo o que o possa fazer feliz...



A imagem que tenho deste amigo,e ainda que há muito não me cruze com ele,é acima de tudo de um ser humano por excelência.
Personalizado,humilde,simples,acredito reúna nesta vida muitos amigos à sua volta.
A vontade que lhe transportou a alma para a musica,também não me surpreendeu,porque sempre o observei como alguém muito ligado de forma multifacetada à arte de passar mensagens de vida,fosse no teatro,em desfiles de cariz popular,no rancho,ou em tudo o que enaltecesse a luz das suas raízes,num orgulho impar de quem ama o que faz,e é solidário com quem o ajudou a ser feliz.

Sim,porque reafirmo,este não acredito que viva sozinho,porque sente,e nem precisa de o saber fazer,já que se deixa levar por si próprio numa fidelidade ao instinto que lhe vem de dentro,e que não engana na sensibilidade para com os valores mais positivos que podem completar a alegria de viver.
Nunca o tinha ouvido cantar,embora já soubesse de mais essa sua qualidade interpretativa do sonho que vive permanentemente.e basta reparar na concretização da sua postura,tentando sempre equilibrar as exigências da letra com a emoção do coração,para se reparar que mais do que talento neste ser humano,existe alguém que se entrega com tudo o que tem,para conseguir chegar a quem com ele se consiga "arrepiar",uma voz aliada ao sentimento,uma estrela que brilha por si mesmo...

Custcruz